sábado, 21 de janeiro de 2012

S.O.P.A não é sopinha



Bom eu não sou especialista mas pesquisei bastante para escrever alguma coisa e me posicionar sobre esse assunto, pode até não adiantar de nada mas quero sentir que fiz alguma coisa, por menor que seja isso.

Vamos lá, para começar vamos entender o que é S.O.P.A (Stop Online Piracy Act) que traduzido significa Lei de Combate à Pirataria Online. S.O.P.A é um projeto de lei e tem como principal apoiador o republicado Lamar Smith considerado bastante radical em suas posturas políticas. A ideia geral do S.O.P.A é combater a pirataria protegendo direitos autorais, de qualquer coisa, filmes, músicas, vídeos, fotos, etc.  Seja o que for se  você não comprou o direito de usar você não pode usar, nem baixar, muito menos. Lembrando que tudo isso vale para os Estados Unidos, por enquanto, para materiais produzidos por eles. O projeto que ele apoia é tão rigoroso que vejam só, nem ele conseguiu fugir e caiu na própria armadilha, http://www.gamevicio.com/i/noticias/110/110292-lamar-smith-criador-da-s-o-p-a-e-pego-violando-direitos-autorais/index.html. Isso por causa de uma simples foto que ele usou sem os devidos créditos e sem autorização. 

Junto com o S.O.P.A está o Protect IP, mas conhecido como PIPA, que até onde entendi(posso estar errada), anda de mãos dadas com o S.O.P.A, fechando o cerco, invadindo de fato nossa privacidade, impedindo downloads e dificultando o acesso a sites que julgarem ilegais. O problema é tão sério que se eu colocar um link aqui de um vídeo qualquer do Youtube, de música ou do que quer que seja, com essa lei vigente, meu blog pode ser tirado do ar, e na pior das hipóteses posso ser presa. Mas enquanto isso não acontece vou mostrar pra vocês o vídeo que fala mais sobre isso, até porque ele fala contra acredito que não teria problemas também, ou teria vai saber. Este vídeo explica como funciona o PIPA.



Há muitas questões a serem analisadas. A pirataria é uma realidade forte, disso ninguém tem dúvidas, mas há muito mais por trás dessa tentativa de controlá-la. Há um país com um histórico de se achar o rei do mundo, o que por si só já é bastante preocupante, e com uma lei dessas aprovada passaria a ter certeza. Tem também a falta de condições ao acesso a cultura que no Brasil é ruim,  em outros lugares nem se fala, e sabendo como nosso governos costuma seguir as diretrizes de lá, aguardem e assistam nossa privacidade e liberdade de expressão descendo pelo ralo. E como a maior parte do que utilizamos vêem de lá, sim seremos diretamente afetados. Google, Facebook, Blogs e por aí vai, nada escapa. Então podemos escolher sentar e olhar ou nos mexermos e lutarmos contra isso. 

Pense em seus e-mails, blogs, sites e contas sendo revirados a procura de links que possam incriminá-lo, sim incriminá-lo por divulgar sua música preferida, mesmo que seja para falar sobre ela, elevar o conhecimento de pessoas a respeito de determinada temática, estilo musical, um filme novo com uma proposta inovadora, ou o que quer que seja. Fazer isso pode passar a ser crime. E vale ressaltar que se você cantar uma música, gravar e colocar na internet também pode ser punido, então se preparem para virar compositores. ;) 

Só acho que não dá pra voltar pra idade da pedra e esquecer a potência que é a internet e a dificuldade que é parar a pirataria nela, e se não dá, porque nem todo mundo consegue comprar materiais culturais pelo seu devido preço, poderíamos pensar em outras soluções, soluções que aliás muitas pessoas um pouco mais espertas já utilizam. Por exemplo, disponibilizar músicas a um valor mais baixo, download de vídeos, filmes e o que quer que seja. Já que os artistas perdem dinheiro com isso vamos pensar em ganhar pouco por cada coisa mais muito por número de downloads. Eu tenho certeza que muita gente ia preferir pagar um valor justo  (ou se não podemos dizer tão justos pelo trabalho que sabemos que dá pra produzir), um valor acessível e por um produto de boa qualidade, do que baixar mil coisas para achar uma um pouco melhor. E é sempre melhor ganhar pouco que nada, e como essa lei não vai nos fazer mais ricos para comprar os CD's, DVD's e afins originais, acredito que os maiores interessados, no caso os produtores de conteúdo, iam preferir ver as pessoas consumindo seus produtos que parando de consumir por não ter dinheiro para acessá-las legalmente.

Não teremos o direito de chamar as pessoas de ignorantes se tirarmos delas a forma mais democrática que tem de ter acesso a um bom conteúdo, a diversidade, a multiplicidade cultural. Por isso eu sou contra e serei até o fim dessa lei absurda. Além do mais defendo sim meu lado como comunicóloga que depende de tudo isso para me manter na profissão, de estar bem informada, atualizada com filmes que muitas vezes nem estão mais disponíveis para a venda e nem sempre encontro para alugar em uma cidadezinha pequena como a que moro. Baixar alguns filmes foi essencial para estudar em alguns momentos já que alguns vídeos que foram indicados na faculdade muitas vezes não conseguia encontrar por nada. Perguntava em fóruns ou blogs e me ajudavam a encontrar na internet, várias vezes. Então posso dizer que  meu crescimento cultural, profissional foi sim ajudado por essa prática. E sim, confesso que como a maioria dos brasileiros não teria dinheiro pra ficar comprando vídeos, ao menos não nos preços absurdos que são comercializados no Brasil. 

O bom é saber que por mais que esperneiem a nossa voz ainda tem muito poder, porque nós construímos esse espaço que agora querem controlar. E por isso a votação da lei foi adiada por hora, alguns sites já anunciaram a morte do S.O.P.A:  http://mashable.com/2012/01/20/sopa-is-dead-smith-pulls-bill/. Mas não fiquem tão felizes ainda, há um longo caminho pela frente, então se valorizam de verdade a liberdade que tem, fiquem de olhos bem abertos e braços descruzados, porque ainda há um longo caminho pela frente. 

7 comentários:

  1. É, mais ou menos como tu disseste... tem os dois lados da moeda.

    De um lado os artistas e produtoras que trabalham e gastam um bom dinheiro nas produções e querem o retorno, que esses sites de download na internet não lhe proporcionam, na maioria das vezes.

    Do outro lado, nós, que consumimos esse material gratuito pelas razões já enumeradas no texto, entre outras.

    É uma questão complicada, mas eu acho sim que precisa existir uma legislação para a internet. Só que sem radicalismos.

    Na verdade, como em tudo na vida, é preciso buscar um equilíbrio, sem tiranias... tem que ser uma forma que fique bom para todos e claro, sem violentar direitos básicos da nossa sociedade...

    enfim... é uma discussão muito longa e que pode durar um bom tempo ainda...

    logo um dos nossos "queridos" deputados ou senadores inventam algo parecido por aqui.

    No mais era isso. Achei muito legal o fato de tu ter pesquisado antes de escrever sobre o tema. Isso é essencial, mas nem sempre é feito por quem vai escrever sobre os mais diversos temas... hehe...

    Parabéns e parabéns também por escolher um tema tão polêmico para voltar a escrever... fazia um tempinho já hein... hehe

    Abração, moça! o/

    ResponderExcluir
  2. Vou me arriscar a dizer que acabar com a pirataria é impossível. Mesmo com essa lei em vigor, ainda tem aqueles carinhas que copiam CDs e vendem nas ruas. Isso também é pirataria. Claro, a internet tornou tudo mais fácil.

    Em parte, a luta contra a pirataria na internet já começou. No 4shared, por exemplo, se você procurar por Beyoncé não vai encontrar nada. As músicas estão disponíveis, mas não são exibidas no sistema de busca do site.

    Quem baixa músicas e filmes sabe que é ilegal. Mas muitos não sabem, por exemplo, que é ilegal fotografar em determinado show e publicar essas imagens na internet.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Gomelli, vida corrida essa nossa, e agora começando a mexer com monografia, esse ano é o ano, to aproveitando o fim das férias porque depois nem sei.rs

      É a temática é polêmica sim, mas como disse a Tati e apontei também, temos que pensar em caminhos que entendam o momento em que vivemos, não adianta usar de tirania, não vai resolver. Acho que somos mais inteligentes para aprender a lidar com essas mudanças com mais tranquilidade e descobrir novos caminhos para que nenhuma das partes saia prejudicada.

      Valeu pelo feedback queridos.
      Abraços

      Excluir
  3. Estou revoltado junto contigo por causa desse projeto de lei. Que coisa absurda! Como você colocou, a maior parte dos conteúdos essenciais hoje em dia (músicas, filmes, shows), são dos Estados Unidos. A pirataria física (de CDs, DVDs etc.) existe há mais muito mais tempo que a web-pirataria (esta última imensamente ameaçadora à economia americana). Tenho certeza de que existe um jogo de interesses por trás disso bem maior que o divulgado pela imprensa. Caso a opinião pública mundial consiga calar esse rascunho da web-ditadura, os Estados Unidos terão uma prova de que não, eles não podem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que por hora eles estão podendo, comendo pelas beiradas e bloqueando sites, alguns não foram excluídos mas já estão mais limitados. Temos que fazer muito barulho mesmo porque enquanto ficarmos quietos eles prosseguem com esse jogo absurdo de interesses mesmo.

      Excluir
  4. Como a algum tempo que não fazia uma visita, hoje resolvi ver o que está a escrever.É o anseio da minha alma que Jesus seja consigo, e encaminhe seus passos pela vereda da justiça. E que Ele cresça na sua vida de maneira que seja visto pelas pessoas que rodeiam sua vida, que o amor de Jesus fortaleça sua vida, e seja como um rio transbordante. Também resolvi dizer-lhe que embora não te conheça mas em Cristo te amo, e continue a ser luz. Um abraço. Se desejar, mas é só se quiser siga meu blog, de volta seguirei o seu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras de benção Antônio Batalha, amém para todas elas.rs Visitando seu blog agora. Abraço.

      Excluir